sexta-feira, 21 de maio de 2010

Mais uma vez, Pelô

Dizem que o Pelourinho está decadente, esquecido, que já não é mais o mesmo. Sei lá, talvez possa até ser verdade. O chato do Caetano "escreveu" sobre o abandono do Pelô em sua estreia como colunista d'O Globo uns dias atrás.
Mas eu, toda vez que estou lá, e eu não sei até hoje porque eu demorei tanto pra conhecer o Pelô, sinto que aquele lugar pulsa - sem metáforas, sem aditivos na cabeça, mas juro, eu sinto o coração do Pelourinho bater. Trata-se de uma força ancestral, que talvez guarde debaixo de suas calçadas, de seus prédios, de suas tradições, e principalmente, de sua gente, a Alma, Anima, Animus, do Brazyl.
Falem o que quiserem, o Pelô será sempre o Pelô. Sacaneado pelos poderosos, mas amado por seu povo - mais do que isso, vivido, sentido, entranhado, o próprio Sentido da vida de seus habitantes, o Pelourinho continua um local onde as almas e os exus se encontram e se encontrarão enquanto o sol se põe no horizonte da Bahia de Todos os Santos.
Aqui, um pouquinho deste lugar em que todos somos Nós, todos somos a nossa mãe, África.
Os barcos vão

Cérebros e varais multicoloridos

Urubu-servando a situação



Mama África


O Robocop do Pelô



Nesse partido eu boto fé








Trocamos o passado e a nossa alma pela novidade exemplar da classe mérdea
Eu daria tudo pra ser um menino do Pelô

Música!



Entre becos e ladeiras, amanhece o dia

6 comentários:

  1. "...sinto que aquele lugar pulsa - sem metáforas, sem aditivos na cabeça, mas juro, eu sinto o coração do Pelourinho bater. Trata-se de uma força ancestral, que talvez guarde debaixo de suas calçadas, de seus prédios, de suas tradições, e principalmente, de sua gente" e "...o Pelourinho continua um local onde as almas e os exus se encontram e se encontrarão enquanto o sol se põe no horizonte da Bahia de Todos os Santos."

    Acho que o André vai cada vez mais se firmando como um grande contador de história dos quintais do Brasil. Sensibilidade de vagabundo do Dharma. Ótimas fotos e legendas.

    ResponderExcluir
  2. exagero seu, sou apenas um vagabundo. haha
    que história é essa de vir pra bh? espero que não seja balela. a propósito, em junho tem festival de cinema em ouro preto. abraço

    ResponderExcluir
  3. Robocop pelas ruas coloridas do Pelô!

    ResponderExcluir
  4. paulão, tem aquela do caymmi: "você já foi à bahia, nego? não? então, vá!".
    abraço

    ResponderExcluir
  5. fotos incriveis, até pra quem nunca foi na Bahia

    ResponderExcluir

Eu aprecio os comentários aos meus posts. A identificação não é obrigatória, mas sempre agradeço àqueles que dizem ao menos seu nome. Não deixe de comentar o que achar interessante! Obrigado.

I really like comments to my posts. Identification is not required, but I will apreciate if you let me know who you are. Make your comments to all that you enjoy in this blog! Thank you.